Resumo do DOU – 01/03/2019

Posted on Posted in RESUMO DOU

✅ Controladoria-Geral da União – CGU institui Segunda Versão do Programa de Fortalecimento da Atividade Correcional na Administração Pública. Confira essa e outras novidades no Resumo  do Diário Oficial da União – DOU 📰 desta sexta-feira, 01/03/2019:

PIB de 2018 subiu 1,1% e somou R$ 6,8 trilhões

Por Alveni Lisboa

O Produto Interno Bruto – PIB brasileiro registrou alta de 1,1% em 2018 em comparação a 2017, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. O resultado estava dentro das estimativas dos analistas consultados pelo Projeções Broadcast, que esperavam uma alta entre 1,10% a 1,35%, com mediana de 1,20%. Ainda segundo o instituto, o PIB do quarto trimestre de 2018 totalizou R$ 1,78 trilhão. Com esse resultado, o PIB de todo o ano passado somou R$ 6,8 trilhões.

No quarto trimestre de 2018, o PIB cresceu 0,1% em relação ao trimestre anterior, resultado que ficou igual à mediana das estimativas calculadas. Na comparação com o quarto trimestre de 2017, o PIB apresentou alta de 1,1%, vindo abaixo da mediana de alta de 1,40%, mas dentro das estimativas coletadas. Já o PIB per capita (por habitante) teve alta de 0,3% em termos reais, alcançando R$ 32.747 em 2018.

Este é o segundo ano consecutivo que o PIB brasileiro cresce, porém em ritmo lento. Em razão das quedas anteriores, os índices se encontram no mesmo patamar de 2012.  Segundo o IBGE, o crescimento de 2018 foi garantido pela alta de 1,3% do setor de serviços, que responde por 75,8% do PIB. As 7 atividades do setor tiveram taxas positivas, com destaque para o comércio, que teve alta de 2,3%, e o setor de transportes, que avançou 2,2%.

Comentários do professor Jacoby Fernandes: o PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país. É utilizado como ferramenta de mensuração do crescimento econômico e para a definição de políticas públicas específicas. Embora o resultado ainda tenha sido abaixo do que o país tem condições de produzir, não há como negar que o retorno do crescimento, pelo segundo ano consecutivo, mostra a recuperação econômica. Aos poucos, o país tem voltado a gerar emprego e a criar um ambiente favorável para a atração de investimentos. O setor público também tem conseguido se reorganizar, principalmente em razão das medidas de racionalização do gasto, e voltado a destinar recursos para obras de infraestrutura e investimentos.

Com informações do Portal G1.